Formadores FLAG, o que dizem… “A formação é essencial para marcarmos a diferença no nosso trabalho.”

23 de Março de 2017

De sorriso constante nos lábios, a formadora Joana Rita Sousa afirma que “a comunicação é o espaço onde se sente bem”.
Em tenra idade sonhava ser jornalista, mas depois apaixonou-se pela filosofia. E o destino acabou por levá-la a cruzar esta paixão com a área da Comunicação e do Marketing Digital, ao mesmo tempo que alimentava o seu talento para a escrita.

Inicialmente como formanda, e atualmente como formadora, a Joana passa regularmente pela FLAG para partilhar o seu vasto conhecimento com quem busca saber e conhecer sempre mais e mais.

 

Como te tornaste formadora na FLAG?
JRS: Uns anos depois de ter estado na FLAG como formanda, para investigar e consolidar conhecimentos ao nível do mundo social media, ​surgiu a oportunidade de assegurar alguns módulos naquela área. Já sou formadora há alguns anos, noutras áreas (recursos humanos, criatividade, filosofia) e vi aqui a possibilidade de partilhar conhecimento e a minha experiência profissional em social media.

 

Como descreves a experiência de dar formação na FLAG?
JRS: É um desafio: afinal, nesta área, todos os dias há novidades e temos que estar muito atentos.
A nível de relacionamento interpessoal tenho sentido sempre muito apoio por parte de toda a equipa da FLAG, que está sempre focada em proporcionar as melhores condições e  ambiente aos seus formandos. Já tinha tido uma experiência positiva como formanda; senti-me bem acolhida. Agora o meu papel é o de facilitar uma boa experiência de formação a quem se inscreve nestes cursos, com vontade de saber mais.

 

Além de formadora, quais são as tuas ocupações profissionais?
JRS: Trabalho em três áreas distintas: filosofia, comunicação e social media. Sou gestora de comunidades e consultora estratégica na área de social media. Além disso, escrevo para algumas publicações, na área da música e da cultura.
Enquanto freelancer tenho a oportunidade de trabalhar áreas de negócio distintas e de me adaptar às necessidades do cliente. Colaboro, pontualmente, com algumas agências, sobretudo no âmbito da criação de conteúdos.

Além disso, tenho um projecto de filosofia para crianças e jovens, desde 2008, que me leva a filosofar com crianças do jardim de infância e do 1º ciclo.

Resumindo: os meus dias não são monótonos, pois implicam fazer coisas diferentes – mas todas elas me dão muito gozo.

 

De que forma descobriste as tuas vocações? Como foi o teu percurso profissional até aqui?
JRS: Quando era pequena, dizia que queria ser jornalista. Depois, no 10º ano, conheci uma coisa chamada filosofia e apaixonei-me. Acabei por fazer a licenciatura nesta área, pois era mesmo isto que eu queria estudar. Assim que saí da faculdade fui trabalhar para a área da banca e ao mesmo tempo alimentei a vontade de fazer outras coisas. Fui quase sempre uma trabalhadora-estudante, pois não imagino a vida sem momentos de aprendizagem.

Quando criei o meu projecto de filosofia para crianças tive necessidade de o comunicar ao mundo – e foi aí que comecei a desenvolver as minhas competências no âmbito social media. Entretanto, abandonei a banca e resolvi dedicar-me à comunicação e social media. Pelo meio concluí um mestrado em gestão de recursos humanos e filosofia aplicada. Frequento actualmente um segundo mestrado, na área da filosofia para crianças. 

A descoberta das minhas vocações aconteceu por via da intuição e da experiência: a minha experiência como formadora e professora de filosofia confirmou que a comunicação é o espaço onde me sinto bem. O trabalho como community manager implica muitos momentos de escrita, o que confirmou as minhas habilidades para o copywriting ou criação de conteúdos.

No fundo, está tudo relacionado com a filosofia: pensar, escrever e comunicar.

 

Qual a importância que atribuis à atualização de conhecimentos e competências, nomeadamente na área de Marketing Digital?
JRS: Vivemos um momento em que tudo muda, de forma muito rápida. A verdade é que Heraclito de Éfeso já tinha anunciado a mudança como a única constante da vida, há uns milhares de anos. Agora essa mudança é cada vez mais visível e atinge-nos de forma mais directa, nas pequenas (e grandes) coisas do quotidiano. ​A área do marketing digital, em particular, exige uma atenção diária a novos estudos, aos avanços tecnológicos – e também ao contexto, ao momento. Nesse sentido, a formação é essencial, para abrir horizontes e treinarmos a nossa atenção ao que se passa à nossa volta. Também é fundamental para que saibamos marcar a diferença no nosso trabalho, para criarmos uma linha que nos identifique e com a qual nos identificamos. 

O marketing digital é um mundo: nesta área podemos desenvolver-nos de formas muito diferentes e também contactar com pessoas que têm percursos diferentes. É bom fazer formação para afinarmos a nossa própria postura, aprender com os outros olhares e perspectivas sobre o mesmo.

 

Gostarias de deixar algum conselho a quem está a pensar enveredar ou otimizar a sua carreira nesta área?
JRS:Sim. Aconselho a prática do H2: Humanidade e Humildade. Estamos a trabalhar para pessoas e, mesmo quando somos uma marca, agimos como pessoas, para que nos consigamos aproximar do nosso cliente ou potencial cliente. É importante ser humilde e humano. E ter humor. Afinal é um H3. 

Tenho a profunda crença – e prática – de que é o Humor que nos salva, que nos permite admitir erros (ser humilde) e aproximar-nos (ser humano) de quem está do outro lado do ecrã, por exemplo, a ler este testemunho. 

Experimentem coisas diferentes, aprendam e depois explorem algo em que sentem que são bons e vos permite acrescentar valor ao vosso cliente ou à vossa equipa de trabalho. Não tenham receio de perguntar, quando não sabem. E ousem, arrisquem. 

 

Joana Rita Sousa
Copywriter | Community manager | Formadora
Formadora de Marketing Digital
https://www.linkedin.com/in/joanarssousa/
http://joanarita.eu/