FLAG, porquê? “Além de uma componente teórica e prática, também possibilita a realização de projetos em contexto real de trabalho.”

30 de Março de 2018

A Rita Gonçalves procurava um programa abrangente que combinasse a vertente teórica e prática, e encontrou no curso FLAGProfissional Post-Production & Motion Designer da FLAG as ferramentas necessárias para começar uma carreira nesta área.

 

Porque decidiste frequentar o curso FLAGProfessional Post-Production & Motion Designer da FLAG?
RG: Quando decidi tirar uma formação em video e motion graphics, procurava uma escola com um programa abrangente, que não só se limitasse aos conhecimentos de sala de aula, mas que oferecesse uma oportunidade para colocar em prática os conhecimentos adquiridos. O curso FLAGProfissional Post-Production & Motion Designer da FLAG, é óptimo por isso mesmo. Para além de uma componente teórica e prática, também possibilita a realização de projetos em contexto real de trabalho, ou tendo em conta aquilo que acontece no mercado de trabalho.

 

Como descreverias a dinâmica da formação?
RG: São abordados diferentes conceitos, como iluminacão, som, técnicas de captura e imagem; depois, temos a possiblidade de experimentar diferentes equipamentos de som, cameras, tripés, luz e até de drone. Ao nível do software aprendemos os programas da Apple e da Adobe que são os mais usados pelos profissionais. De um modo geral, é uma formação muito completa e abragente, lecionada por formadores que trabalham diariamente na área, o que faz da formação uma experiência muito enriquecedora e que não seria possível através de aulas online ou tutoriais.

 

Qual a tua opinião sobre os formadores e a sua experiência no terreno? Algum que querias destacar?
RG: Os formadores são também profissionais extremamente qualificados que trabalham na área, para agências, empresas ou diretamente com os clientes, o que faz com que os conhecimentos que nos são passados, sejam uma mais-valia. Destaco o formador Nuno Caroço, como sendo uma pessoa metódica e com vastos conhecimento técnico em After Effects e o formador Miguel Mariano, por estar sempre disposto a acompanhar os projectos e por ir além das espectativas, para que consigamos realizar um bom trabalho. Acho até que o curso tem o sucesso que tem pelos profissonais que contrata.

 

Sentes que a formação e a FLAG te proporcionaram novas oportunidades profissionais? De que forma?
RG: A FLAG prepara-nos para o mercado de trabalho e disponibiliza uma oferta de empregos e estágios e a oportunidade de participar em concursos. É uma formação prática e direcionada para o que as empresas e os alunos procuram.

 

Qual o caminho que pretendes seguir na tua carreira profissional?
RG: Quero trabalhar na área de HCI, como Product ou Interaction Designer.

 

Que importância atribuis à formação de carácter prático para o teu crescimento profissional?
RG: Nas áreas digitais, pela rápida progressão e desenvolvimentos das tecnologias, é essencial fazer actualização dos conhecimentos e formação constante. Por isso, como designer é muito importante para mim ter uma aprendizagem constante, em que desenvolvo competências técnicas e a capacidade de “savoir-faire”.

 

Recomendarias a formação da FLAG a outras pessoas? Porquê?
RG: Sim, porque os programas são práticos e actuais, sendo actualizados de acordo com o que mercado de trabalho procura e com um feedback preenchido pelos alunos. Para além disso, tem formações de curta duração, que podem ser realizadas num período pós-laboral.

 

Rita Gonçalves
Ex-formanda do curso FLAGProfessional Post-Production & Motion Designer